Você não é o que dizem e deve apreciar mais o ‘sim’ do que ‘não’

| foto: pixabay

Existe um modo de se ver e reconhecer no mundo consolidado em nossas cabeças, baseado no que os outros consideram de você. Deus! É aquele papo de ouvir e aceitar o que os outros dizem? Pode estar se perguntando. E lhe respondo: bem, em partes é, mas calma. Pegue leve com os clichês e dê uma chance.

Se alguém com títulos ou posição social de destaque na sociedade te acha capaz ou inteligente, automaticamente se sente capaz e é? Se esse mesmo alguém acha que não, deve aceitar da mesma forma? Pense bem nesse aspecto, porque a resposta vai lhe fazer analisar o que aceita para si. Quando o seu professor ou chefe lhe diz algo, toma como verdade absoluta? Mais uma vez, calma, e sinto lhe informar que, por mais cômodo que algumas dessas posições sejam, elas não representam o conjunto inteiro e, desculpa novamente, muitas delas sequer são reais. Estou perdoado?

Dia desses almoçando com uma amiga, ela me confessou o quão se sentia impotente por não conseguir que as pessoas enxergassem o seu valor e potencialidades na faculdade e trabalho. Eu lhe disse que não deve provar ou mostrar para elas o próprio valor, porque cada um de nós é um universo em expansão. Romântico né?

Mas entenda o que quero dizer: assim como se põe a cabeça do lado fora da janela e se supõe mil e uma coisas do universo, para além das que saltam aos olhos, as pessoas fazem o mesmo com as outras e não quer dizer que seja verdade ou tudo seja só o que está mais visível. Falei que ela é sempre mais do que as pessoas estão vendo ou querem ver, porque ela também está em expansão e tem detalhes singulares.

Completei a conversa dizendo que chegará o momento em que vão perceber mais do que podem agora e vão colher e acessar as partes desconhecidas do seu universo de potencialidades e em evolução. É curioso porque nossa visão de mundo é materialista e bidimensional, só se pode ver o que se acredita, ou está minimamente preparado, então por mais que exista tudo à frente, as pessoas só vão conseguir ver quando estiverem preparadas ou ao menos predispostas.

Um dia ela poderá dizer a quem lhe impõe dúvidas: “não duvidei da minha capacidade ou do que sou, quem duvidou foram vocês e eu não devo provar nada a ninguém e nem devo impor que acessem o que não estão preparados”. É grandiosa a resposta e muito interessante, não é verdade? Agora coloque-a dentro de sua cabeça.

O que se vive agora não é o fim de toda a sua existência e não impõe o que está por vir, tudo pode mudar e certamente irá. Me assusta, por exemplo, o número absurdo de universitários e jovens que adoecem porque assimilam não serem capazes de ocuparem o lugar sonhado ou já conquistado. A dúvida, às vezes, está dentro da própria casa ou ciclos de amigos. Relações abusivas.

Na vida, sempre aparecerão pessoas capazes de invocar sentimentos. As que são seguras e felizes, tendem a invocar coisas boas, te ajudam a crescer. As não, podem apostar em diminuir e até mesmo oprimir o outro por meio até dos discursos de “estou ajudando", "falar disso é para o seu bem”. É uma forma de escapar do conflito interno.

- Ei, sente aqui que quero te dar um conselho
- Aham, pode falar.



Quem te pediu, cara pálida? Que direito tem de impor e diminuir as pessoas conforme o que acredita? Se sequer se conhece, como pode dar uma de deus na vida do outro? É um grande erro aceitar alguns tipos de ajuda, na realidade, o ideal é atentar ao que se está sendo posto para dentro da consciência vindo do outro. 

Veja, não estou dizendo que não se deve ser humilde e ouvir sobre os próprios erros e acertos, mas observe quem está falando, para além das convenções sociais e dos interesses. Agora você tornou a coisa complicada – deve ter pensado. Mas não. Não pense assim. Aplique o exercício de escutar quem não lhe oprime e já é um bom começo.

Às vezes tudo que precisamos é de mais “sim”

Em uma das cerimônias do Oscar um ator foi receber a estatueta. Ele disse no agradecimento que estava ali porque um alguém lhe disse sim quando não tinha nada, só as suas ideias e projetos pouco maduros.

Esse sim, mudou sua vida e, quase sempre penso na história desse ator para explicar que muitas pessoas geniais só precisam de que uma – além dela mesma, porque sem acreditar em si, não se vai adiante em nada – acredite nelas. Não importa quem seja, se é um parceiro, amigo ou familiar. O melhor lado do seu universo sempre estará acessível para àqueles que querem o seu melhor. As possibilidades de sucesso são maiores quando pelo menos dois acreditam.

Não existem incapazes. O discurso de não se pode ter tudo é dos conformados. Todo mundo pode fazer, ter e ser qualquer coisa. Se se sente inteligente porque uma pessoa tem que lhe certificar de que é? E se depende de que alguém lhe diga que é, precisa urgentemente rever isso. É você quem deve se certificar do que é e pode fazer não os outros. Quando se alcança isso, a paz se instaura e resultados surgem.  

Outra coisa: você não tem de ser nada pelos outros, mas ser o que realmente é, se aceitar, expandir. Veja, também não quero dizer que a pessoa que aponta detalhes nas outras não possa fazê-lo, se for solicitado ou se sentir à vontade. Mas sim de ter atenção ao escutado, a forma que se diz algo a alguém, além de permitir se conhecer. O autoconhecimento é a única dádiva que ninguém pode lhe tirar e é condicional a tudo que quer.

Ninguém que vai estar contigo em um determinado período do dia ou vida, pode afirmar que é bom ou ruim como verdade absoluta. Seu namorado não pode lhe dizer que não presta, por causa de um ou dois episódios, seu chefe não pode te julgar incompetente por causa de algo que por ventura tenha acontecido. Nem o seu professor pode achar que não é capaz de absorver a matéria porque não se saiu bem em um exame.

Existem momentos e olhares diante do mesmo universo. Por isso, o autoconhecimento é fundamental para que não assimile concepções que joguem contra si. Da mesma forma que, para que as pessoas possam lhe dizer sim mais vezes, precisa confiar no que realmente é.

Você é um universo, não é o quê estão lhe impondo: é o que sente que é.  Não é seu trabalho ou diploma que devem certificar o que vive ou é capaz de fazer, mas sim o que consegue obter de crescimento ao transitar pelos diferentes ambientes e experiências.

Às vezes você só precisa de um sim e de que não duvidem da sua capacidade, que confiem no que realmente é e pode entregar, no entanto, não espere por isso, porque será sempre mais do que as pessoas ou você mesmo julga. Lembra do universo? Ele é infinito e você é a sua imagem e semelhança.


Comentários

  1. Vinicius,
    Sempre achei mancada acreditar em tudo que dizem sobre mim mesmo. Seu texto traz uma grande lição para nós, justamente por reforçar que a escolha está sempre nas nossas mãos. Excelente. parabens!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, João. A escolha está sempre ao alcance de nós mesmos.
      Obrigado pelo comentário e visita :D

      Excluir

Postar um comentário

Bem-vindo a Ótica Cotidiana!
Obrigado pela visita e leitura do texto.


Participe deixando a sua opinião, comentário ou questionamento sobre o texto.

NOTAS :

- Não serão tolerados qualquer mensagem contendo conteúdo ofensivo ou de spam.
- Os comentários são de plena responsabilidade dos seus autores, ainda que moderados pela administração do site.
- Os comentários não representam a opinião do autor ou do site.

MAIS DE ÓTICA COTIDIANA