Dez tipos de pessoas que estragam qualquer 1º encontro


| fotos: reprodução

Ter um bom primeiro encontro pode ser o sinal de que outros virão e, quem sabe, um relacionamento, se for esse o objetivo. Mas e quando o (a) parceiro (a) em questão é um (a) mala já nos primeiros momentos? Já viveu alguma experiência tão ruim a ponto de querer se levantar e ir embora? Saiba que não está só.

Existem vários fatores que podem resultar em um encontro frustrado: clima entre os dois, local escolhido, humor, momento da vida, sensibilidade, timidez e, claro... a personalidade do potencial parceiro (a). Este último se desdobra principalmente na forma como lida com o outro. Será que você é um mala e não sabe? Vale observar como lida com as pessoas.

Há quem fale demais e quem não. Tem àqueles que acabam pecando ao tentar impressionar. Como se está conhecendo uma pessoa, convém se apresentar de forma leve e ouvir. Desconectar-se dos aparelhos eletrônicos é uma questão de educação. Nada mais insuportável do que conversar com alguém que não olha no rosto.

Veja 10 tipos de pessoas insuportáveis que estragam qualquer 1º encontro:


1. A que tem a síndrome de ser Google
Essa dita espécie não deixa o (a) potencial parceiro (a) completar uma única frase, sem parecer que já sabe o que será dito. É o próprio recurso de autocompletar, só que humano:

- Você gosta de se.. <interrupção>
- Séries? Adoro! Assisto de tudo: comédia, drama, ficção, nossa! Lembrei. Você já viu House of cards?
- Na verdade eu ia perguntar se você gosta de ser.. <interrupção>
- Rico? Lógico, né. Quem não? Com dinheiro posso comprar tudo que quiser, viajar, gastar com roupas, comer horrores e chamar atenção. Mas nem sou, oh...
- Não. Você gosta de ser as... <interrupção>
- De direita? Não! Eu lá tenho cara disso? Assim não, né? Nem me envolvo com política. Aliás, quero conversar sobre outra coisa. Que tal?
- Caramba, eu só queria perguntar se gosta de ser assim tão mala. Vou embo... <interrupção>
- Embora? Não antes de eu falar sobre...


cansei. seria melhor nem ter vindo

2. Subcelebridade

Aquela que sempre vai achar que estão observando tudo e que deve beijar os pés por causa dos seguidores que tem nas redes sociais e por ter ido lhe conhecer. Volta e meia faz fotos e conversa com os ditos fãs - inclusive, tende a achar que você também é um, pois pediu o encontro. Além de repercutir posts e fazer ao vivo (lives) em meio a conversa. Não surpreende se este tipo achar que marcar você em alguma postagem para receber seguidores vá ajudar a quebrar o gelo...

- Nossa! Postei agora e já tem 200 likes.
- 200 o quê?
<dois minutos depois...>
- Eita. Agora tem mais 200. Hora do live, se ajeita aí vai. Qual teu @?
- Nossa, calma. Eu só queria conhecer você.
- Ué, mas você não me segue e curte minhas coisas?! Eu hein...

em pensar que eu gastei dinheiro para chegar até aqui para isso...

3. A que não larga do smartphone
Tudo bem que ultimamente andamos grudados aos smartphones, mas não convém e nem é elegante em pleno primeiro encontro ficar com a cara na tela. Nada mais broxante do que querer conversar com a (o) potencial pretendente e não ter o mínimo de interação.

- Então, o que você faz da vida mesmo?
- Pera aí que já te falo. Estou aqui falando com uma amiga.
- Tudo bem, mas vai demorar?
- Não. É coisa de dois segundos. <alguns minutos e risadas depois> - Pronto. Do que falava?
- Sobre o que faz da vida.
- MEU DEUS, não acredito que ela postou essa foto! Preciso printar agora para jogar no grupo!
- Desisto.

apenas um sentimento

4. A que conta vantagem financeira ou tem a síndrome de que tudo dela é melhor
Esse tipo é atemporal. Sempre chega com conversas em que é (a) o protagonista e que obteve sucesso/vantagem. Pode ainda se aproveitar das experiências do outro para falar das dele (a), mas enfatizando que a por ele vivida é mais fascinante, interessante e importante.

- Você é daqui mesmo de Salvador?
- Claro que sim. Nasci e passei a vida toda aqui, moro ali no Corredor da Vitória. Minha família sempre teve apartamento com vista para o mar. Temos lancha e pier privado.
- Ah tá. Legal.
- Mas não vamos falar de mim. Fala de você. Para quais lugares já viajou?
- Bom, eu já fui até a Chapada Diamantina.
- Nossa, sério? Eu adoro lá, mas já enjoei. Fui umas 10 vezes ao longo da vida, tenho 20, viu? Adoro viajar. Voltei semana passada de uns dias na Espanha. É verão lá, sabe? Quis fugir do calor daqui.
- Entendi.
- E quanto ao seu trabalho?
- Trabalho no Centro, em uma loja de antiguidades. Gosto bastante...
- Ah que bacana. Meu trabalho é muito bom também, tenho vários dias de folga e ganho horrores sem fazer esforço, eles me adoram e deixam fazer essas loucuras de parar o serviço para viajar. Muito bom, né?

é sério que me prestei a vir para isso?

5. A que não dá espaço para você entrar na conversa e, portanto, não irá se interessar em saber de sua vida em nenhum momento
Esse tipo é fácil de detectar até nas conversas de WhatsApp ou já no match do Tinder (se for o caso). Se ainda assim decidiu encontrar, não foi por falta de indícios.

- Oie!!
- Oi.
- Tudo bem?
- Tudo.
- O que gosta de fazer?
- Sair, conversar, viajar, assistir filmes...
- Hmm. Legal.
- Gosto também de ler e de dançar.
- Interessante. Trabalha com o quê?
- Muita coisa.
- Ah.
- Gosto do que faço.
- Posso te perguntar uma coisa?
- Claro, meu bem. Estamos aqui para nos conhecer.
- Perguntar ‘e você?’ para eu entrar na conversa vai fazer sua boca cair?!
- Que?

parece que as coisas não vão bem

6. A que te acha parecido (a) ou compara com exs
Terminar uma relação não é fácil e às vezes a comparação é inevitável, mas não convém no primeiro encontro enxergar o ex na pessoa que mal conhece.

- Nossa, adoro assistir Grey's.
- Sério? Meu ex amava também e víamos juntos.
- Ah.
- Desculpa, não queria falar dele.
- Tudo bem.
- Caramba, você é compreensivo igualzinho ao meu ex.. Na verdade, ele também tinha esse estilo de cabelo e barba. Mas ele não presta, me traiu. Você vai me trair também né? Ok. Acabou aqui o encontro! Não quero te conhecer mais, me deixa em paz!
- Mas...
- Aprendeu com ele esses ‘Mas...’ né? Safado!

eu não quero falar sobre isso, pfvr!

7. A monossilábica
Parente de primeiro grau da pessoa do tipo que não deixa você entrar na conversa e pouco se interessa em saber detalhes da vida do outro, mas o agravante é que ela, para piorar, responde com poucas palavras, não importa quão interessante seja o assunto.

- Cara, olha que meme maravilhoso!
- Hm.
- Eu adoro memes e gifs, você gosta?
- S.
- Usar nos apps é tipo voltar aos tempos de MSN, né?
- S.
- Você chegou a usar ou sente saudades?
- N.
- Ah... <desmancha o sorriso, mas tenta mais uma vez> O que fez hoje de bom?
- Nd.
- Olha, quero que você vá pra )(*&¨%$%¨&!
- Ok.


gastei 4G a toa 

8. A que só fala de si /se acha ou é esnobe
Esse tipo se apresenta com as seguintes características: só traz temas de sua incrível e extraordinária vida, acha que todos têm inveja dele (a), além de se sentir a pessoa mais bonita e interessante da face do universo. Abre a câmera frontal para se admirar e adora repercutir comentários de suas fotos.

- Velho, adoro essa foto. Estou tão gato.
- Está mesmo.
- Claro que pessoalmente sou melhor né?
- ???...
- O que você acha de mim?
- Isso é importante para falarmos agora no nosso primeiro encontro?
- Sei lá. Acho que as pessoas têm medo de conversar com alguém tão bonito como eu. Sofro porque as pessoas acham que não serei fiel por causa da minha aparência. Todo mundo da em cima, sabe? É chato. 
- Insuportável.


deixa só eu ver como está meu rosto agora...

PS: Quando é do tipo esnobe, pode querer demonstrar inteligência, conhecimento, esperteza e provavelmente te julgar se não conhecer filmes de Godard. Pode também falar algumas expressões e gírias em outro idioma só para dar valor ao curso que fez. Que mala, não?

9. A que acha que você é psicólogo
Instável, precisa de análise da própria vida para lidar com os dramas que tem vivido e acredite: achará que os problemas que enfrenta são maiores do que os seus. Nenhum problema recorrer a tratamentos, não fosse por buscar isso com um (a) desconhecido (a) e no primeiro encontro. Logo depois de conquistar o mínimo de intimidade, começa a falar das dificuldades da vida e pede solução ou conselhos.

- Então... isso é pesado, sabe? Desde cedo minha mãe acha que devo mudar de curso para algo que ela imagina que dê mais dinheiro.
- Relaxa, faça o que gosta. O que você acha de falarmos de... <interrupção>
- Ah, mas ela faz isso desde cedo. Sabe que desde de... [aqui há uma longa e intensa história de família e problemas emocionais]. O que você acha que devo fazer?
- Não sei se sou a melhor pessoa para te aconselhar...

não estou sabendo lidar...

10. Louca (o) dos signos
Autoexplicativo. Mal deu match no Tinder (ou qualquer outro app) e já pede data e hora de nascimento. Faz o mapa astral completo e, se vacilar, até numerologia (apesar de este não ser astrologia).

- Gostei de você, nem parece ariano.
- E o que isso tem a ver?
- Ah, porque arianos não se dão muito bem com o meu signo. Não conheço um ariano legal, sabia?
- Ah tá.
- Deve ser a sua lua.

fiz o mapa só para me divertir, não estou criando expectativas...

----

Apesar dos embaraços, conhecer pessoas é sempre bom. E só se tem encontros bons, depois de ir em alguns, ainda que sejam ruins.

E você, com qual desses 10 já teve que lidar? E para fazer o advogado do diabo: já foi ou é algum destes sem perceber?

TESTEVocê é um/a mala no primeiro encontro?

Comentários

  1. E quando tem mais de um tipo na mesma pessoa? 🙄

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. hahaha, recomendo paciência em dobro.

      Obrigado pelo comentário e visita :D

      Excluir
  2. Adoreeeeeiii e infelizmente já tive vários desse tipo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, mas pelo menos deve ter tirado boas lições e aprendizado, né?

      Obrigado pela visita e comentário :D

      Excluir

Postar um comentário

Bem-vindo a Ótica Cotidiana!
Obrigado pela visita e leitura do texto.


Participe deixando a sua opinião, comentário ou questionamento sobre o texto.

NOTAS :

- Não serão tolerados qualquer mensagem contendo conteúdo ofensivo ou de spam.
- Os comentários são de plena responsabilidade dos seus autores, ainda que moderados pela administração do site.
- Os comentários não representam a opinião do autor ou do site.

MAIS DE ÓTICA COTIDIANA