Quer vencer na vida de verdade? Então faça isso direito!





Vencer na vida não significa necessariamente conseguir comprar coisas, ou ter poder para obter muitos bens e controlar muitas pessoas. O conceito de vencer na vida, a meu ver, vai muito além.
Vai além porque objetos materiais qualquer um pode ter, valendo-se das regras que regem as relações financeiras e as criações humanas. Muitas delas descartáveis, efêmeras e voláteis. Não é materializar as ambições rastejantes dos humanos e sim o que está além da sua própria sombra e olhos.
Vencer na vida no seu sentido amplo é muito mais, por isso poucos vencem. Talvez a satisfação de vencer na vida seja indescritível, de tão singular que é. Mas isso não isenta a sua percepção e veracidade. Não se engane e nem se conforme quando disserem que ela não existe.
 Vencer é alcançar o abstrato: a realização. É conseguir desenvolver a própria capacidade intelectual, espiritual e humana em criar ou desenvolver as suas potencialidades singulares, em favor de um ideal pessoal. Esta realização é capaz de atingir a muitos outros de forma positiva, possibilitando transformar vidas e realidades. Este é o sentido de vencer a vida.  
A evolução do espírito humano é o equilíbrio. Tudo isso é individual, mas atinge todo o universo. Não existe menos importante nesse jogo. Se numa multidão de pessoas você retirar apenas uma, ela fará falta para alguém. Cada pessoa é um livro. Um livro repleto de potencialidades e conquistas, que muitas vezes se mantém fechado, por na sua aparência fechada julgarem que o conteúdo não possui tanto valor. Costumam valorar apenas títulos em contextos criados artificialmente. Com tanta pressa só resta, para muitos, render-se aos títulos.
Vencer a vida é vencer a própria ignorância em achar-se superior aos demais -- pelo que tem e acha que tem -- em não se apegar a preconceitos, limitações físicas, rótulos tipicamente humanos e principalmente a própria ganância em querer tudo, oferecendo tão pouco.
Ter conseguido poder para ter bens, é só uma consequência e nem tão importante quando se conquista a vitória em ter vencido a vida no seu sentido abstrato. Não se engane com essas pessoas e nem com a satisfação temporal em ter ‘vencido’ a vida, porque tem um carro do ano, uma casa/apartamento num bairro bacana e uma conta recheada. Evidente que precisamos de dinheiro, enquanto vivermos no sistema atual. Mas ele sozinho não representa evolução alguma, muito pelo contrário -- diante do que as pessoas são capazes de fazer a si e a outros, por ele -- significa a involução do próprio espírito. Se pergunte mais vezes, diante de um materialismo frustrado: quando se morre, o que se deixa nos outros e no mundo?
Então, se você quer de fato vencer na vida, faça isso direito! Corra atrás do que importa que o resto, que vem do convívio humano, é só uma consequência. Não acumule ignorância, arrogância e nem ganância. Procure acumular realizações pessoais e intelectuais e então você perceberá que as coisas que você precisa para viver muito bem, virão naturalmente e por muito mais tempo do que a do conjunto de pessoas que se dizem vencedoras. Cuidado para não se enganar com estas pessoas que venceram na vida. A tendência em ser ilusória é real. A tendência de você ser substituído facilmente também.
Para vencer na vida é preciso querer. Mais uma vez: por isso poucos vencem. É um querer de verdade, mais do que qualquer outra coisa. E o resultado: absurdamente superior à própria compreensão de meros mortais. Faça isso direito. Se quer vencer, vença de verdade. O resto é só uma consequência. Inverta caminhos tradicionais e descubra uma lógica de sucesso pessoal e imaterial. 



MAIS DE ÓTICA COTIDIANA

Cicatrizes