O imaginário de Adam - Fase II






Encorajado a sair da cabana, Adam resolveu por na balança os últimos acontecimentos e as suas consequências. Só assim foi capaz de perceber o peso de cada decisão tomada. Refletiu. Depois de muito tempo, e depois de muito ter tentado adivinhar o que estava por vir, decidiu parar.
O tempo lhe parecia algoz, na verdade esta sensação era fruto da sua ânsia por respostas, visando desvendar o futuro antes mesmo de ele dar sinais. Tudo escorregava pelos seus dedos, antes mesmo de tocar. Frustração. O que ele desejava não era necessariamente o que tinha. Desde uma mera escolha até o seu maior sonho.
Olhando para o azul pálido do céu viu os desenhos se transformarem. O tempo estava correndo e esse movimento o fez bem. Paz momentânea. Num dado momento, uma poeira cobriu os seus olhos, como se fosse uma nuvem. Ela permaneceu por um tempo e quando finalmente desapareceu, notou que não te fazia bem este movimento: a busca e suspiros por algo que nem sequer poderia ser real. Adam sofria por antecipação, e depois de muito ter pensado, viu que o melhor a fazer é parar. Não que ele estivesse desvalorizando o futuro ou deixando de crer nele. Muito pelo contrário. Por perceber a sua importância, decidiu não atrapalhar a ordem natural dos acontecimentos. Instantaneamente um garoto sorriu para si, o garoto que mora em seu coração. O ser preso por esta ânsia por respostas rápidas e absorvíveis.

Adam aos poucos compreendia que não se pode mudar a ordem natural das coisas e que vale a pena viver o futuro e esperar por ele. Mas as dúvidas de Adam não desapareceram, o que mudou agora é que o seu foco não é apenas nelas. Nada tão forte, relacionado às dúvidas do futuro iriam aprisioná-lo de novo na cabana dos seus pensamentos.




Comentários

Jan disse…
Isso foi tao sensivel. *-*
Gostei pra caramba.
Carol-ol-ol disse…
o Imaginário de Carol.... e acho que ela enlouquece todos os dias. Mas nao pelas precipitações, pelos ansiosos sofrimentos, e sim pelos que já passaram.
Sabe, pretérito imperfeito.... Ja foi e ta indo ainda hehehehe

E sim, a ilusão é melhor porque é intocável. O pensamento nos leva porque nós que conduzimos.

=(

EM ALTA