Reflexões cotidianas: Coisas invisíveis



                                                                                        
        As pessoas comuns diriam, e dizem, que estou vendo e procurado coisas onde não existe. Mas não é isso. Só eu sei o que me deixa bem, só eu posso sentir o que preciso.
       Jamais deixarei de expor a sensibilidade por medo de pessoas que possam questionar o meu modo de viver. Sou sensível o bastante para perceber as coisas que me incomodam e que fogem do plano real. Isso ninguém jamais irá mudar.
        Mas tudo muda o tempo inteiro e eu continuo a caminhar com uma mochila de coisas invisíveis nas costas. Eu preciso estar sempre voando e voando porque parado não consigo crescer. 



Comentários

Emi disse…
Nooossa, quer me fazer chorar de novo com os textos! Gostei da parte que diz que não vai deixar de se expressar por medo. Aos poucos eu também tenho me acostumado com essa ideia, pq tem de ser assim mesmo. Quem quiser que goste da gente! hahahah
Beijos, seu Vinny!

EM ALTA