Impressões cotidianas: o amor de hoje






            Observo o quão às pessoas têm brincado com o te amo. É mais ou menos assim: Fulaninha conheceu Fulaninho hoje. Amanhã, depois de algumas horas de conversa, deixará publicamente um ‘eu te amo’ em qualquer uma de suas páginas, em redes de relacionamento.
O exemplo -- talvez exagerado -- é lamentavelmente real. Esses fatos têm levado a reflexões acerca da banalização de sentimentos. O que seria o amor? O carinho? Vive-se uma época de acúmulos de carência em várias relações. Estamos vivendo em meio a grandes vazios. Faltam pessoas que nos olhem dos olhos, com sinceridade, assim como dispostas a ouvir.
Acredito que falte para as pessoas um pouco de consciência do que seja relacionar-se com o outro, e os sentimentos envolvidos. Afinal de contas, os seus sentimentos e os alheios, não são como algum tipo de roupa que você usa, usa e quando cansa joga fora. Tampouco estão por aí para download. 



Comentários

Rodrigo disse…
Em: 15/02/2009 14:23:50

to me sentindo agr *-* abraço especial pra vc tbm vi ^^

EM ALTA