Oculto









Você arrancou com tanta força
Achou que estava diante de algo pequeno
Puxou sem dó e sem imaginar que provocaria hemorragia em mim

Te pergunto: por quê?
Você acha justo machucar as pessoas?
Como lida com o sentimento de culpa ao se olhar no espelho?

Você arrancou com força
Não me deu chances de me defender
Tudo escorre em mim, tudo se desmancha em nós

Te pergunto: por quê?
Se tudo que sempre te dei foi o melhor
Como lida com a frieza em ser o que é?

Você arrancou com força, tanta força
Não deu chance para minha sobrevivência,
Te pergunto: por quê?

Com força, tanta força, sem chances de defesa,
Você quis acabar comigo, mas o maior de todos os seus castigos
É ter de conviver com o que é

Seu reflexo no espelho esconde no sorriso e olhos de criança
Um ser capaz de matar e destruir toda e qualquer forma de amor
E de trazer e provocar muito mais do que a dor 








MAIS DE ÓTICA COTIDIANA