Notas de despedidas




Outra vez chegamos aos pontos que nos une e machucam
E a minha despedida ainda não se materializou 
Mesmo com esforços, 
Você permanece por aqui

Você diz não entender o que sinto 
E nem percebe a intensidade das palavras ditas a mim
Volta e meia me vejo no começo outra vez
Outra vez, o sentimento apareceu

Um dia terminou 
Mas as minhas voltas na cama permanecem 
Do seu lado tudo permanece nublado, o silêncio é seu cúmplice
E nada do que eu faça trará o sol outra vez

As minhas despedidas não são materializadas
Mas sinto o peso da ausência em mim 
Todos os dias
Até o amor cansa de apanhar


Você não entende o que sinto, 
Porque não há nada que te faça me ver
Você não entende o que nos aproxima, 
Porque ceifa e não deixa acontecer

Mas o sentimento transborda, 
Me sufoca e me afoga, me faz querer você e 
Perdoar todas as suas falhas
O sentimento embaralha o que julgamos controlar

Mas até o amor cansa de apanhar
O sentimento de ausência permanece aqui
Treino despedidas todas as noites, 
Mas elas permanecem na racionalidade

Mesmo distante de mim, você está aqui
Você não entende o que sinto, 
Por isso suas reações são paradoxo
Mas até o amor cansa de apanhar

Tudo transborda e não quero mais me afogar
Tudo invade os limites racionais e eu sou só sentimento 
Longe de ser loucura é só o espontâneo
Vindo do dia banal em que sentou ao meu lado e perguntou qualquer coisa

Minhas despedidas estão próximas outra vez
Escrevo notas racionais e endereçadas
A quem cansou de mudar
Porque até o amor cansa de apanhar

Porque por mais que a esperança resista
Ela não pode continuar a machucar 
Até o amor cansa de apanhar
Mesmo que no seu lugar pareça fácil renunciar

Do lado de cá é só esforços 
Mas permaneço envolvido em tudo que ainda machuca e dura
Talvez por isso as tantas notas de despedidas 
Talvez por isso sempre falhamos ∞ 






MAIS DE ÓTICA COTIDIANA