A promessa de Célia




Na quarta-feira da semana passada
Célia ouviu estirada no sofá de casa
Que uma vida saudável
Começa com novos hábitos

Na hora do jantar
Anunciou para a família o fato
Do clichê apresentado
No programa que ninguém mais assiste


Comprou um tênis novo
Porque agora a sua vida estava em jogo
Na segunda começaria a caminhar
Pelo menos por meia hora, para não se exaustar

Segunda-feira chegou
Começou a cumprir o prometido
Mas a cada ladrilho
Parava para conversar

A cada dez passos, dez minutos dispersos 
“Você viu o acontecido, vizinha?”
Aproveitava e anunciava, para os que com ela conversava
O seu novo estilo de vida

Agora era saudável
E caminhava todo dia meia hora
Sentia-se orgulhosa
Por cumprir promessas anunciadas

Mais ladrilhos, mais paradas
Mas estava caminhando
Acreditava estar se salvando
E fazia questão de sinalizar

Célia encontrou o seu jeito
De cumprir a promessa não mensurada
Ainda que não se desse conta
Dos efeitos das manobras utilizadas

Os atos de Célia representavam
O único modo que encontrou
De acreditar que estava mudando a própria vida
E de que o mundo mudou  







Comentários

  1. A gente tem mania de acreditar que estamos cumprindo promessas quer, obviamente, não estamos.

    http://www.novaperspectiva.com/

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Bem-vindo a Ótica Cotidiana!
Obrigado pela visita e leitura do texto.


Participe deixando a sua opinião, comentário ou questionamento sobre o texto.

NOTAS :

- Não serão tolerados qualquer mensagem contendo conteúdo ofensivo ou de spam.
- Os comentários são de plena responsabilidade dos seus autores, ainda que moderados pela administração do site.
- Os comentários não representam a opinião do autor ou do site.

MAIS DE ÓTICA COTIDIANA