Bicho

| foto: pixabay

Eu sou bicho
Um bicho intuitivo
Há algo maior para me guiar sempre
Por isso, sou bicho

Se ferido, reajo
Mas essa reação pode ser introspectiva
Com força o bastante para transformar o exterior
Como bicho, talvez seja agressivo

Tal agressividade não se mostra em violência física
Não machuco, mas posso provocar dor
Porque minha reação vem de palavras e ações
E se me desafiar, irei reagir

Posso ignorar, seguir em frente
E mesmo em silêncio, parecerei incomodar
Porque eu, na condição de bicho que segue o instinto,
Não aceito as leis que oprimem os homens

Os homens, inconformados,
Reagem ao bicho instintivo que vive bem
Porque eles não permitem que outros seres
Vivam sem seguir as leis que criou para o autocontrole

Domesticados
Os homens são
E tentam o mesmo
Com os que são bicho

Eu sou bicho
E não aceito as leis que me impõe infelicidade
Nem mesmo àquelas que me tiram da condição de bicho
Permaneço assim, vivo

Sou agressivo com as palavras e com a minha completude
Se ser humano é ser infeliz a maior parte do tempo,
Prefiro ser bicho, porque assim sou livre das correntes
Que cegam e paralisam os homens, domesticados

Sou bicho intuitivo
Ser feliz é o objetivo
Não aceito nada menos do que isso
Porque só a felicidade traz a liberdade

Só na liberdade pode existir o bicho intuitivo
Não ouse dominar ou doutrinar, porque os bichos reagem
Até mesmo em silêncio, reagem
Minha ação é introspectiva

Sou bicho e você, homem

 
  

Comentários

MAIS DE ÓTICA COTIDIANA