Companhia

Se eu trouxer o infinito darei fim à solidão?



Eu vi você rodeado de silêncio e solidão
Tudo que eu queria era te livrar de tal companhia,
Apresentar-lhe palavras e sensações novas
O mundo lhe parecia previsível até então?

Agora que os seus olhos interpretam o novo
E brilham como se tivesse nascido outra vez,
Os ruídos que te apresentei serão um risco?
E se eles trouxerem o infinito?

Sequestrei-te do silêncio e agora te levo ao desconhecido
Do que você tem medo?
Das asas que não pode ter para voar?
E quem precisa delas quando há emoções?





  

MAIS DE ÓTICA COTIDIANA