Imperfeições



A vida anda brava, agora ri pouco das minhas imperfeições. Ela assiste aos meus erros e acertos continuamente, e me dá solavancos fortes e lições severas. Tudo que ela deseja é me tirar desse coma profundo em que vivo e que me afasta de qualquer versão minha que me afasta de quem eu realmente posso ser. Tal versão orbita pelo espaço em direção ao desconhecido.

A vida continua severa, impaciente as minhas imperfeições. Todo aprendizado parece querer me fazer crer que não há propósito maior do que a dor. Da vida, desejo apenas o seu sorriso, algo leve para continuar a explorá-la. Há beleza no desconhecido, mas o medo do conflito é algo que sempre recorre e impede experiências. 


  

MAIS DE ÓTICA COTIDIANA