Fototempo







Tempos, que tempos...
O futuro pareceu uma fotografia,
As nossas conversas,
Pura melodia de poesia, fantasia?

O futuro era apenas a extensão
Da sensação do eterno,
Materializada no presente,
Em meio a efeitos que a gente sentiu

Tempos, que tempos...
A liberdade era mais do que uma sensação
A certeza continuava rarefeita,
Mas nada incomodava a nossa sintonia

Tudo se materializava em imagens
Refletidas em nossos olhos grandes
Que usávamos para devorarmos um ao outro
Quando fazíamos promessas sem usar palavras

Tempos, que tempos...
De outros tempos
O futuro parecia tão real
Que não me dei conta de que ele é sempre dúvida

Hoje a minha dúvida
É de se àqueles tempos existiram
Ou se são apenas imagens, direto de um sonho,
Que passou pelos meus olhos, fototempo





Comentários

Postar um comentário

Bem-vindo a Ótica Cotidiana!
Obrigado pela visita e leitura do texto.


Participe deixando a sua opinião, comentário ou questionamento sobre o texto.

NOTAS :

- Não serão tolerados qualquer mensagem contendo conteúdo ofensivo ou de spam.
- Os comentários são de plena responsabilidade dos seus autores, ainda que moderados pela administração do site.
- Os comentários não representam a opinião do autor ou do site.

MAIS DE ÓTICA COTIDIANA