Pontual





Ele chegou e invadiu os espaços
Sem atrasos e com frieza
Encarou os olhos vermelhos
Pouco se importou com o que viu

Ele chegou marcado pela pontualidade
Sabia quão o encontro havia sido evitado
E do quão os sinais foram ignorados
Por temer a solidão

Ele chegou. Agora, ainda mais visível
Sóbrio, bruto e absurdo
Em passos rápidos devorou tudo
Partiu e deixou marcas do adeus

Ele chegou, o fim chegou 


*Texto publicado como sequência ao especial Antologia do fim 


MAIS DE ÓTICA COTIDIANA