Clichês de autoajuda #1: "Tudo em seu tempo"







Àquela história de tudo acontecer em seu tempo às vezes não passa de uma tentativa banal de justificar o que nunca irá acontecer. A nossa cultura funcionalista tende a procurar justificativas e funções em tudo. Sobretudo, quando os fatos contrariam as nossas expectativas. Mas, calma. Isso não invalida o esforço em entender a própria vida ou as limitações para agir ou recomeçar. Tampouco quer dizer não existir um tempo certo para os fatos.

Muitas vezes, os amigos, pessoas próximas ou mesmo você, num ato solidário à dura realidade experimentada, tende a classificar e justificar o que não irá acontecer ou as formas de como não aconteceu. O “tudo em seu devido tempo” às vezes é um mero truque. A única saída para não sofrer mais pelo que não teve. Um ponta pé para esquecer e mudar o olhar. Uma forma de materializar a esperança sem parecer perdedor. Na batalha entre o querer e o poder, quem sempre vence é o tempo.

Há fatos que não necessariamente precisam de uma justificativa densa, de diversas laudas imaginárias ou teorias. Há fatos ou sentimentos que já nascem em você para não se expandir. É lógico que aceitar tudo isso parece e é difícil. Nem sempre estamos prontos. Na realidade, nunca estamos. Por mais que na sua agenda exista a programação do amanhã, ele é inexato, pode nem existir. Imagine aplicar essa incerteza ao que se deseja e procura meios de conseguir?

Um minuto de atraso, uns segundinhos a mais de sono vão resultar em fatos. No tal do acaso. Mas esse tal acaso não necessariamente precisa significar algo e nem você precisa se culpar por não encontrar justificativas ou funções para ele, como cobram no tal discurso do tempo. As dimensões da vida irá brincar justamente com isso, com essa nossa ânsia por respostas e formas utilizadas para minimizar sentimentos. Assim como o jogo entre àquela realidade imaginada e a realidade materializada.

Quanto mais justificativas e mais repetirem “tudo em seu tempo” e tantos outros clichês, mais chances de ocultar e esquecer o que nunca chegará. Nem tudo precisa acontecer num tempo e, certamente, nem tudo irá acontecer. Não leve tão a sério o clichê “só irá acontecer quando você estiver pront(a,o)”. O tempo é uma percepção extremamente individual, não se pode mensurar tão fácil. Todos os clichês são meros truques para se conformar ou render-se a insegurança.

Avaliar a própria vida e maturidade para encarar o novo é um processo saudável. Por isso, não parece racional se entregar a clichês por tanto tempo.



MAIS DE ÓTICA COTIDIANA