Ciclos de ouro: nós somos copos






Cada um vê e interpreta o mundo na maneira que pode e de acordo com suas aprendizagens. O que é desconhecido pode tornar-se conhecido com o próprio esforço. O desconhecido, ao tornar-se conhecido, abrirá espaços e possibilidades para novos desconhecidos. É um ciclo de ouro, garante renovação.
Pense sempre que é um copo.
Se você se acha tão cheio a ponto de não aceitar o que vem, cuidado. Uma hora a água se esvai e poderá se tornar um ser vazio sem notar. Afinal, nunca nos damos conta do processo de evaporação.
Se você se acha pouco cheio, tenha em mente que o pouco que se acha que tem é o suficiente para querer, cada vez mais, estar cheio.
Ainda que a água seja o suficiente para sobreviver por um tempo, ela precisará de renovação para perpetuar. A vida é repleta de ciclos, permita-se a renovação.


Footnote:

É neste espírito de renovação que comemoro com vocês meia década no ar. Agradeço infinitamente o carinho de vocês durante todos esses anos, desde o blig. São mais de 260 publicações nestes últimos cinco anos. Através delas crescemos e interagimos do nosso jeito singular. Como uma crônica singular do cotidiano, literalmente.

Mais uma vez, obrigado por tudo. 

Comentários

MAIS DE ÓTICA COTIDIANA