Quando a escolha é a liberdade







Quantas versões você precisará criar e compartilhar, até se convencer de que àquela realidade é justamente a que você não quer enxergar? Antes de lidar com qualquer realidade, primeiro é preciso aceitá-la.
Aceitar uma realidade parece acionar níveis de conformismo. Mas todo conformismo só se materializa, quando se aceita tudo sem questionar ou resistir. A verdade é que o ser humano lida com a realidade à medida que aceita enxergá-la. Há a crença de que é mais fácil ignorar o que está posto e interferindo no próprio funcionamento das suas vidas, do quê simplesmente perceber e agir.
É... O comodismo é uma tendência quando não se conhece a liberdade de ser e pensar, ou ainda, quando há medos e fraquezas. Se não há liberdade, há comodismo. O vício constante do comodismo impacta em constantes transferências de culpa. No imaginário do pensador apenas um lado está errado e certamente não é o seu. Percebe-se um movimento grande na troca de culpas, às vezes tenho a impressão de que andamos em campos minados e que cada passo pode representar uma nova culpa.
Uma hora descreve-se um culpado e quase sempre se autodescreve como vítima. Às vezes acreditam que as pessoas tem despeito umas das outras, mas este sentimento pode ser outro, que não necessariamente trará o conforto, se for revelado. Quando você percebe que alguém próximo tende a sempre estar preso ao próprio casulo, e você resolve comentar para incentivá-los a sair, muitas vezes se recebe a agressividade como resposta, ou imaginam que o que está sendo feito é apenas para prejudicar.
Doloroso é ver alguém enclausurado com as mesmas ficções, alheio aos próprios sentimentos e ao mundo a sua volta. Tende-se a olhar as relações a partir dos seus objetivos. No amor, quer ser correspondido da mesma forma que imagina merecer. Às vezes, confundem amor com posse e esquecem a própria liberdade em ser o que queria ser. Confundem ajuda com servidão e felicidade com materialidade. Então, pergunte para si mesmo: quantas vezes você precisa inventar algo que, você sabe não ser real, mas não quer acreditar e aceitar?
Aceitação só se torna algo negativo quando não se age em prol de mudanças para as coisas que intrinsecamente estão dentro de você, trazendo o seu desconforto com a vida e com o próprio mundo que consegue ver. Se você nunca esteve em contato com a liberdade e com os ideais de independência, comece a pensar que a sua vida pode ser mais interessante do que a mera ficção que lhe impõem.

# Footnote:

Bom, como todos vocês devem saber, o Vinicius Gericó [blog] completou no dia 1º de julho quatro anos \o/. Como de costume, darei uma repaginada no blog. Irei inserir novidades nas postagens e mais umas coisas que tenho pensado. Mas até então, apenas estou em fase de finalização do projeto final. Creio que não deva demorar muito para as novidades virem de fato para cá.

Muitas saudades dos meus leitores e amigos queridos aqui do blog. Irei responder a todos, muito em breve.

Comentários

  1. Oi Vinicius
    Parabéns por um ano de blog! Eu não comentei antes porque estava viajando com minha família. Mas vc deve continuar escrevendo, vc escreve muito bem, esse texto ficou maravilhoso, como vc consegue transcrever um olhar analítico sobre a sociedade hoje em dia!
    Bjão. Fique com Deus.

    ResponderExcluir
  2. Obrigado pelo comentário e visita Lu, sempre bom te ver por aqui!

    :**

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Bem-vindo a Ótica Cotidiana!
Obrigado pela visita e leitura do texto.


Participe deixando a sua opinião, comentário ou questionamento sobre o texto.

NOTAS :

- Não serão tolerados qualquer mensagem contendo conteúdo ofensivo ou de spam.
- Os comentários são de plena responsabilidade dos seus autores, ainda que moderados pela administração do site.
- Os comentários não representam a opinião do autor ou do site.

MAIS DE ÓTICA COTIDIANA