O viajante. Destino: 2012




A ideia de viajar é prazerosa. Imaginamos possibilidades e possibilidades de materializarmos o que mais buscamos dela. Na hora de fazer as malas, por mais que você saiba o que levar, a dúvida será sempre mais um item. Não suportamos a ideia de esquecer algo importante, nem de levar peso em vão. Então, recorremos as nossas aspirações e numa seleção rigorosa adicionamos item por item. As malas, além de tudo, carregam o imaterial.

A lei das malas para viagem é a mesma lei para o ano seguinte. O mundo, geograficamente falando, será quase o mesmo. Terão as estações do ano, chuvas e dias de sol. O que muda, ou pelo menos se tenta mudar, são as pessoas. Assim, a escolha dos itens para essa nova viagem representará o avanço e desprendimento de fatos ou pessoas que representaram problemas ou preocupações no ano anterior.

Costumo acreditar e dizer que amanhã será um mundo melhor. Que a tendência seja sempre o positivo, o que faz bem e o que cura feridas passadas. A partir deste pensamento, me sinto preparado o suficiente para uma nova viagem, a de 2012. Selecionei os itens que acredito ter utilidade. O objetivo da viagem é aproveitar de tudo: as oportunidades, os erros, os acertos, os problemas, as felicidades, tudo. Aproveitar tudo e ser alquimista quando necessário. Saber transformar o ruim em bom parece muito mais difícil, do que transformar o bom em ruim. A tarefa é sempre mudar. Mudar para melhor, para então perceber, sentir e viver a partir do crescimento, alcançando voos mais altos e novos níveis de felicidades. Indo sempre além das nossas próprias expectativas, e quando necessário retornando às malas.
 

E não se preocupe com as malas perdidas. Às vezes a perda é a forma que alguém, além da nossa compreensão, encontra para nos motivar a crescer, aprender e se adaptar ao novo. Para então sermos mais independentes, dinâmicos e capazes de gerenciar a nossa própria felicidade.

Por fim viajamos. Entramos numa espécie de portal e tudo de repente se torna passado arquivado. Fecha-se mais uma era, um ciclo, nasce daí uma nova. E é você viajante, quem escolhe o que fazer deste novo período, usando as malas que considera necessário.

#

A todos os meus familiares, amigos, conhecidos, leitores e colegas desejo-lhes um 2012 maravilhoso repleto de tudo àquilo que te faz bem. Muitas realizações, superações, aprendizado e força para encarar o que parece difícil. Sonhos? Que todos se tornem realidade. Desejos? Que se materializem. Felicidade? Sempre. Amor? Também.

Agradeço a todas as pessoas que fizeram do meu 2011 um ano muito bom. Aos meus amigos de sempre, aos novos, a todos que de alguma forma contribuíram para minha felicidade, crescimento e sabedoria. Vocês estão em minhas orações, pois se são capazes de fazer outras pessoas felizes, é sinal de que já são.

Que ergamos as nossas taças para brindar essa nova era repleta de positividade e mudanças significativamente melhores!

Um abraço. Nos vemos em 2012, ou melhor, já já é 2012!
 Vinicius Gericó



Comentários

MAIS DE ÓTICA COTIDIANA