O caracol e o peso das suas costas




            Na natureza há formas de vida que são interessantes e ao mesmo tempo semelhantes. É o caso do caracol e o do ser humano. O caracol sempre leva a sua casa nas suas costas. O ser humano sempre leva os seus sentimentos no coração e sente os problemas como se eles estivessem em suas costas.
O caracol tem uma casca dura e consegue vencer os seus adversários naturais. O ser humano é forte, mas essa fortaleza em alguns momentos parece desaparecer. Mas ainda sim, reconhece o poder da sua força. É bem verdade que o caracol consegue vencer os obstáculos que poderiam o extinguir. O ser humano por sua vez consegue vencer os obstáculos em prol do que carrega dentro de si: os seus sonhos, amores, esperanças, forças e sabedoria. Tudo àquilo que é só seu e capaz de dar fôlego aos seus passos.
O caracol anda por aí em busca do conforto, em busca da sobrevivência. O ser humano sobrevive, explora tudo por aí e faz de tudo para se manter no conforto.
O caracol suporta tudo que está nas suas costas por pura obrigação, o ser humano nem sempre. O que você está levando nas costas pode significar a sua dor. O peso de carregar algo tão pesado pode significar grandes perdas e feridas. Você é capaz de colocar limites no que carrega. No fundo você acaba ficando com o peso que aguenta carregar.
Se você observar bem as coisas, o que acontecerá com o caracol sem a sua casa? O que seria dele sem essa luta para sobreviver? Agora pense o que irá acontecer com o ser humano sem os seus sentimentos nas costas e no coração? O que aconteceria se ele não tivesse que proteger e lutar por tudo que ele realmente acredita?
Tudo acaba sempre se encaixando e o peso se equilibrando. No curso original da natureza e do universo, nunca há desequilíbrio e nem injustiças. Cada qual carrega o peso que se permite carregar ou aguentar.



Comentários

  1. Pra vc que diz que eu nunca comento...

    Tudo acaba se encaixando mesmo. Às vezes achamos que devemos carregar aquele peso. Às vezes o levamos mesmo. Até muito além de onde deveria. Temos dificuldade de nos "livrar" dele. Porque achams que ele é nosso, faz parte de nós. Às vezes não é bem assim. E de tanto carregá-lo acabamos por torná-lo nosso.

    O nosso peso somos nós quem delimitamos no final das contas. Pena que só a duras penas percebemos isso, quando normalmente nos livramos após muito dor do peso que era "nosso".

    ResponderExcluir
  2. Acho suas palavras verdadeiras demais tudo isso ai faz mtto sentido pra mim.

    Curti mto o post!

    ResponderExcluir
  3. Ual heins, sempre gostei de pensamento filosóficos deste gênero, onde comparamos a natureza de Deus com os humanos. Nunca tinha parado para pensar no caracol em especial mais me lembro de ter ouvido na TV uma coisa parecida sobre os peixes, em especial os peixes de determinada região acho que no Canadá que nascem, saem de 'casa' e depois que vão quaze morrendo, regridem onde nasceram.. de momento não sei explicar a relação entre eles e nós, mais era algo bem legal e fazia ainda mais sentido quando eu estava sentado no sofé hehe. Abraço Vini

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Bem-vindo a Ótica Cotidiana!
Obrigado pela visita e leitura do texto.


Participe deixando a sua opinião, comentário ou questionamento sobre o texto.

NOTAS :

- Não serão tolerados qualquer mensagem contendo conteúdo ofensivo ou de spam.
- Os comentários são de plena responsabilidade dos seus autores, ainda que moderados pela administração do site.
- Os comentários não representam a opinião do autor ou do site.

MAIS DE ÓTICA COTIDIANA