O tempo: o que você pedirá a ele?





Você se lembra daquela noite em que olhou para as luzes da cidade e fez um pedido em silêncio? Lembra-se daquele abraço que recebeu e dos suspiros ao tentar encontrar as palavras certas para descrever o que sentia? Desejou o inexplicável, quis tocar o impalpável. Seu desejo era de que o tempo se tornasse mais flexível, que segundos aparentemente pouco significáveis, viesse a se transformar em lembranças eternas.
Viajou pelo tempo com inúmeros desejos. O que você pediu a ele? Pediu para passar tudo rápido demais? Pediu para acordar alguns meses depois, para assim perceber que o àquilo que sentia passou? O tempo levou, o tempo curou, afirmaria.
Ao mesmo tempo você quer viver, mas sabe que precisa deixar alguns acontecimentos no tempo. Não precisa esquecer, só não precisa lembrar.
Peça ao tempo esta noite que transforme tudo que te deixa angustiado. Não adianta pedir para que ele apenas passe. Entregue as coisas a ele, porém tome cuidado com as expectativas desleais. Você não precisa viver a mesma coisa todos os dias.
Você se lembra desta mesma noite em que mal conseguia dormir de tamanha felicidade? Acho que algo se inverteu, ou talvez algo sempre tivera caráter efêmero.
O tempo vai cuidar de tudo.
O tempo trará algo novo.
O que você pedirá ao tempo hoje?
O que você quer entregar a ele?
Apenas permita à transformação.

Comentários

MAIS DE ÓTICA COTIDIANA