Dois anos de blog on \o/



Há exatos dois anos, de maneira tímida, nascia o Vinicius [blog] totalmente online. De lá pra cá, evidentemente, muitas coisas aconteceram aqui e em minha vida. Parte das coisas que vivi encontram-se registradas aqui. Sim, aqui, não há outro lugar na internet para melhor guardar o que vivi. Não de maneira clara e didática, mas sim por textos codificados, repletos de metáforas, polissemias e toda essa minha forma de passar o que sinto.
Se pudesse apagar alguma coisa desses dois anos não apagaria. As pessoas que me fizeram mal fortaleceram de alguma forma. As que fizeram bem também. Dois anos é muito tempo, e nele voei muito alto e tive de aprender a voltar a caminhar, mesmo depois de ter conhecido as nuvens. As pessoas costumam querer apagar muitas coisas passadas, mas eu, não mais. Uma vez que, eliminar algo do passado, significa eliminar algo do presente/futuro. Por mais que possa ter sofrido com algumas delas, elas contribuíram para alguma coisa. Nada nessa vida é em vão. Nada é por acaso, tudo se completa, tudo faz sentido.
Neste período de blog conheci pessoas maravilhosas, pessoas que entraram na minha vida para fazer a diferença. Tanto por meio do blog, quanto nas minhas relações pessoais. Há pessoas que nunca vimos, mas que curiosamente sentimos algo especial. Assim como há pessoas que ao vermos pela primeira vez não simpatizamos. Não sei, ao certo, a importância de tudo que vivi ou que senti, só sei que são importantes e úteis. Os risos as lágrimas, as alegrias e tristezas me transformam. Simpatizando ou não com as pessoas que passaram por aqui ou pela minha vida, todas foram importantes.

Várias vezes falei da sensibilidade ao escrever. Recentemente ao escrever coisas invisíveis, falei diretamente disso. Realmente tento não levar em conta as críticas que não são úteis, ou as que vêm de pessoas que não conhecem nem o que dizem. Acho importante ter uma forma particular em ver o mundo e é o que tento fazer aqui nos textos.
Muitas pessoas falavam, e talvez falem, do meu blog quanto ao tamanho dos textos. Outra coisa que eu também não levo tão a sério. Quando escrevo textos literários, não fico contando linhas ou páginas. Simplesmente deixo o fluxo da minha imaginação e sentimentos fluírem naturalmente. Há vezes que uma página ou uma frase contempla o que sinto, e outras não. Sempre deixo todos livres para ler, não obrigo ninguém a nada e jamais faria coisa parecida. Não que não me importe com os meus visitantes, evidente que não é isso, penso em trazer textos que também serão úteis a vocês. Amo todos vocês e agradeço todo o carinho que recebi, os elogios, as críticas, tudo. Absolutamente tudo. Mas acontece que não consigo limitar as coisas que faço para um formato que agrade a todos. Ninguém consegue agradar a todos, não é verdade?
Voltando ao blog e os textos há pessoas que servem de inspiração sem nem imaginarem. Pessoas que podem não me conhecer, pessoas que eu não tenho um contato e convívio direto. Contudo, elas contribuíram e serviram como verdadeiras sementes para muitos dos meus textos. Tudo costuma surgir naturalmente. Na rotina, no silêncio dos meus pensamentos e em tudo que consigo enxergar ou sentir. Não sei ao certo como as pessoas recebem o que escrevo. Talvez possam dar sentidos distintos aos que quis passar, talvez descubram coisas que nem imaginava ter falado. É tudo bem subjetivo e misterioso e particularmente, gosto muito disso.
Recentemente mudei o blog, agora mais completo e cada vez mais do meu jeito. Deu um pouco de trabalho, mas tudo que fazemos querendo fazer, não sentimos o tempo passar.
Por fim, quero agradecer imensamente a todos os meus leitores queridos. Tanto os que comentam, quanto os que só passam por aqui. Obrigado de verdade. Agradeço todo o carinho de que sou alvo. Aos meus primeiros leitores, Vanessa, Priscila, Jean, Bruno, Túllio, aos meus leitores de sempre, Rodrigo, Rafael Ramos, Carla Silva, Emi, Fancy, Carol, Gillian e muitos outros que não tive oportunidade de conhecer muito bem. Agradeço de verdade por todo esse carinho. Se o blog se mantém é por saber que algo particular está sendo posto para fora de maneira que muitas pessoas possam fazer uso. Desejo que muitos anos possam vir. E que muitas coisas boas que aconteceram nesse período de dois anos, possam se multiplicar nos próximos. Espero também aprender com as coisas que estão por vir. Enfim, só consigo perceber que estou crescendo e consequentemente o meu blog também.
Indico a todos os meus textos favoritos que se encontram na seleção ‘vale a pena ler de novo’. Cada palavra escrita tem um sentido particular. Assim como na vida.

Nos vemos por ai, nos vemos por aqui. Pronto para dar e receber um abraço. A vida é um constante encontro e desencontro, imerso a transformações contínuas.
        Se cuidem e mais uma vez, muito obrigado!

Vinicius Gericó




Comentários

  1. Parabéns Vi! Parabéns pelo blog e por seu crescimento. Seu blog realmente é a sua cara

    ResponderExcluir
  2. Aeeeeeeeee! o/
    Parabééns!
    Como sempre, demais!

    Beguiins!**

    ResponderExcluir
  3. Que lindo *-* Realmente, não vale a pena apagar nada do passado, mesmo as coisas ruins. Pessoas que gostariam que isso acontecesse são pessoas fracas!

    Parabens pelo Blog. Eu nao canso dedizer que ele é lindo rs
    Bjs!

    ResponderExcluir
  4. Parabéns!
    E que venha muitos outros!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Bem-vindo a Ótica Cotidiana!
Obrigado pela visita e leitura do texto.


Participe deixando a sua opinião, comentário ou questionamento sobre o texto.

NOTAS :

- Não serão tolerados qualquer mensagem contendo conteúdo ofensivo ou de spam.
- Os comentários são de plena responsabilidade dos seus autores, ainda que moderados pela administração do site.
- Os comentários não representam a opinião do autor ou do site.

MAIS DE ÓTICA COTIDIANA