Dentro do coração, mantendo a respiração






Me disseram uma vez que só saberia o que seria amar, quando chegasse à adolescência ou quando fosse um pouco mais velho. Acho que esta foi uma das primeiras mentiras que ouvi na vida.
Tão cedo senti algo diferente e mais cedo ainda, percebi algo onipresente. Até então era tudo muito novo. Sentia algo especial pelos meus entes, temia só de pensar em perdê-los. Havia amigos que sentia carinho fora do comum. Havia sentimentos dentro de mim que cresciam sem eu controlar. Eu era apenas uma criança que sentia, aos poucos e aos muitos, a experiência em amar.
Inquieto como sempre fui, perguntei aos meus pais e a minha professora: ‘por que amamos?’ Mas não me responderam claramente. Na verdade, ninguém nunca me respondeu ao certo. E mesmo hoje, um pouco mais velho, percebo que o amor não é algo a ser perfeitamente definido. Mesmo com várias experiências, será difícil responder o motivo pelo qual amamos. Talvez seja porque precisemos disso. É isso que, junto com os nossos sonhos, nos mantém vivo.
Não sabemos a razão e nem quando tudo começa, tampouco os protagonistas. O amor é uma surpresa. Senti-lo é sinônimo de ver a vida com outros olhos. Quando se ama tudo é diferente. Os olhos brilham mais, a respiração é mais leve e tudo parece incrivelmente mais fácil, quando se é correspondido. É algo forte capaz igualar os sexos, idades, e as diferentes formas de amar. Todo mundo espera por ele, e há alguns que insistem em dizer poder viver sem. Impossível. Ele está dentro do coração mantendo a respiração.
Penso que não importa os corpos, até porque eles um dia irão desaparecer, o que vale é o amor que sentimos, não importa por quem ou pelo o quê. O amor é único e perdura por eras. Não há como evitar, o coração pulsa sem parar. Volta-se a ter a energia de um jovem, mesmo em quem já viveu muito.
Estamos amando o tempo inteiro, mesmo quando acontecem fatos desagradáveis. Precisamos disso para viver e para superar os mais variados percalços. O amor é um dos temperos da vida. Não é para ser descrito, apenas para sentir e compartilhar.   





Comentários

  1. pois e, nao se tem idade para amar.
    E é iso que realmente nos deixa vivo.

    parabeins pelo blog

    ResponderExcluir
  2. "Quando a gente ama, simplesmente ama E é impossivel de explicar
    Quando a gente ama, simplesmente... ama" ♪♫

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Bem-vindo a Ótica Cotidiana!
Obrigado pela visita e leitura do texto.


Participe deixando a sua opinião, comentário ou questionamento sobre o texto.

NOTAS :

- Não serão tolerados qualquer mensagem contendo conteúdo ofensivo ou de spam.
- Os comentários são de plena responsabilidade dos seus autores, ainda que moderados pela administração do site.
- Os comentários não representam a opinião do autor ou do site.

MAIS DE ÓTICA COTIDIANA