Sinceridade arrogante, heim?



Por que as pessoas confundem tanto a sinceridade com a falta de educação? Ora, desde quando ser arrogante e falar coisas inapropriadas e que ninguém pediu, virou sinônimo de sinceridade? Não que façamos de conta o tempo inteiro, não que sejamos mentirosos uns com os outros, mas é coerente expor determinadas opiniões grosseiras, imaginando exalar sinceridade? Independentemente do seu grau de intimidade, nem sempre as pessoas estão prontas para ouvir e creio que não temos o direito, tampouco obrigação de falar tais coisas.
Aliás, os sinceros/mal educados, acham que estão por cima, se acham o dono de si e da verdade e se acham pessoas de personalidade forte e inigualável. Mas que personalidade é esta? Será que é realmente necessário falar coisas que as pessoas não pedem para ouvir? E mais ainda: será que se fosse o contrário, o ‘sincero’, aceitaria ouvir tudo na tranquilidade? E o tom da voz? E a ironia? É possível perceber se as pessoas realmente gostam de ironias ou piadinhas clichês?

Sempre falo que as palavras são nada, perto da maneira de como elas são postas para fora. Ora, se escuto de alguém que grita e é arrogante, um simples ‘eu te amo’ pode ser interpretado como um ‘eu te odeio’ ou ‘eu te desprezo’. E a maneira que serão produzidos os movimentos faciais, talvez por osmose, também estão fortalecendo algo que, nem sempre tão confortável.
O que falar das pessoas que se acham donas da verdade? Arrogantes e cegas? Na verdade, quem mais perde são elas. Se fecham e se isolam, achando que já sabem de tudo. Uma perda. É só o resto do mundo que elas perdem.
A mesma coisa das pessoas que precisam o tempo inteiro provar para os outros de que é o melhor naquilo em que estão fazendo. Ora, ora, se é preciso provar o tempo inteiro é sinal de que não existe um conhecimento pleno de si mesmo, tampouco verdade naquilo em que está sendo exposto, daí a repetição e autoafirmação. Quem você está tentando convencer se nem a você mesmo consegue?
Lamento pelas pessoas que acreditam serem espertas a ponto de achar e de querer passar as outras pessoas para trás. Fingem ser amigas, se acham amigas, mas como elas terminam? Solitárias e vazias. Talvez o vazio possa ter gerado tudo. Até porque, quando existe o vazio, é comum querer preencher o buraco com algo que lhe faça bem. E esse, quase sempre é o mais fácil de manter.
É uma escolha que se faz. Como toda escolha, têm consequências positivas e negativas. Talvez seja o faz de conta. Faça de conta que não sei, que farei de conta que estou acreditando. Não é para brincar assim? Quanta gente sincera, não?


Footnotes:

- Abraço especial pro Rodrigo e Fancy
- Boas estreias nestas últimas semanas, cinema cairia bem.

Prosas da mente:
- É... Poderia ser verdade... Ué, poderia? Quem sabe, quem sabe... É que...
Mas que certeza é essa de que é verdade? E quem te disse que eu tenho certeza? Talvez. Incerteza. É? Às vezes? Quem sabe, quem me dera... É tudo uma miragem.
- O que você faria se soubesse de tudo? O óbvio? Quem sabe... Vai saber... Dúvida, mistério. Desejos...


Comentários

  1. que chique, eu fui citado no post :D

    vii

    te acho tao sincero HUAIEHUIAUEA

    ResponderExcluir
  2. Vinnyeee
    Eu te convido pra ir ao cinema ahuhuahuahu

    Passo aí pra te pegar, às 20h tah bom?? xD

    Eu gosto de sinceridade, sou mtoo sincera as vezes, mas acho que deva haver um bom senso de cada um né.
    As vezes é melhor não ser tão sincero para não ser inconveniente ou então mal educado como tu disse.
    Adorei o post.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Bem-vindo a Ótica Cotidiana!
Obrigado pela visita e leitura do texto.


Participe deixando a sua opinião, comentário ou questionamento sobre o texto.

NOTAS :

- Não serão tolerados qualquer mensagem contendo conteúdo ofensivo ou de spam.
- Os comentários são de plena responsabilidade dos seus autores, ainda que moderados pela administração do site.
- Os comentários não representam a opinião do autor ou do site.

MAIS DE ÓTICA COTIDIANA