Céu nublado, escombros amontoados



Tudo que estava ou parecia extremamente sólido parece ter desabado. Será que havia realmente preparo para o momento em que tudo estivesse desabando?
Tudo foi acontecendo sem me dar conta de que estava inteiramente envolvido, de que era o protagonista e de que o foco era realmente só meu. Mais uma vez encontrei a prova de que nada é para sempre, inclusive o que penso ser sólido. Tudo desaba e se renova num ciclo assustador.
O tempo ajuda como pode, espalhando os escombros por meio dos ventos e das chuvas. Mas as certezas e a insegurança estão presentes e parecem ganhar ainda mais força, mas ainda sim não se tornam sólidas e nem tão visíveis.
A solidez ao acreditar em algo e a cegueira momentânea, nos faz de certa forma, esquecer-se dos desejos reais e da realidade de uma situação. É como se o momento permitisse a estar perdido e que a reação seria quase sempre fundamentada na criação, sem se importar na validade ou não do que está ganhando vida.
Ações respondem, precisamos fantasiar. Fantasiar para se esquivar de um complexo mundo real, que provoca uma hemorragia de sentimentos que lhe tira a vida. Não sabemos muitas vezes o epicentro do desabamento, mas agimos como se tivéssemos a sabedoria necessária àquela situação.
Mas para quê criar cenários, inventar situações, pensar em estratégias, já que quando menos se espera, tudo pode desabar e você ou eu podemos ocupar bem o centro de tudo? Talvez tudo isso sirva para acumular experiências, para amadurecer mais. Quem sabe ao certo? Afinal de contas, quando tudo desaba, o desespero, muitas vezes é quem toma conta de tudo.
Mas e quando o desespero não aparece? E quando tudo desaba e tudo continua normal, mesmo quando estou no meio destes escombros? Certamente ganharei algumas feridas, certamente sofrerei algumas das consequências (nem sempre severas), mas acho que já não estou tão vulnerável e que as estratégias, os cenários, as invenções e as realidades mútuas serviram para me deixar um pouco mais forte. Mesmo quando não pude perceber. Afinal de contas a tempestade não parece tão forte, nem todo furacão é forte o bastante a ponto de destruir tudo e não restar mais nada.
A lição da estória se encontra justamente aí, na mudança e quebra a partir do que já se foi ou do que já está esbagaçado.
Os escombros são isso. São, na verdade, a matéria prima para a construção de algo diferente, quiçá melhor. Mas ainda sim, sem perder àquele amontoado de elementos que um dia fizeram parte de algo sólido.
           Chuvas e tempestades chegam a tempos que geralmente não estamos prontos ou que não estamos esperando. Pois nem sempre temos um guarda-chuva nas mãos e aí ficamos vulneráveis. Mas uma chuvinha ou uma tempestade, ou ainda um furacão, pode ser só um grão de areia, que lhe incomodou porque caiu nos seus olhos. Quando finalmente se livra dele, percebe que não havia monstros, não havia furacões, chuvas ou tempestade. O que havia era apenas mais uma situação que faz parte de um livro que se chama vida.



Footnote:

Ps:
Decepcionado com trabalhos mal feitos. Depois ainda dizer que é para os fãs é pedir para odiar. Lamentável. 

Comentários

  1. voc ta escrevendo cada vez melhor :D

    (e eu tbm quero o box --')

    ResponderExcluir
  2. Céu nublado, verdade mesmo na hora que percebe que é o protagonista ja ficou tudo nublado e verdade também dos escombros, mais nem todos eles podem ser usados em novos, pois as vezes sao completamentes destruidos e se tu usar acaba montando uma estrutura falha. Mais tú é inteligente de causar inveja, talvez monte algo que muitos vão querer derrubar de novo, mais veram que nao importa quantas vezes derrubem tu vai erguer cada vez melhor.



    Amei esse PS kkkkkkkkkkkkkkkkk Tu é foda viny, ta certo msm
    situações drasticas merecem medidas do nivel!!!

    ResponderExcluir
  3. Mano, eu num sei o que é TSC.... nada me veio a mente. Bem cara, teu post tem muitos pontos reais e interessantes, gostei da parte q diz q os escombros são matérias primas para algo diferente.

    Cara, desculpa a demora para passar aqui,ando na correria e acabei que só visitei uns poucos amigos e leitores que comentou no ultimo post. Mas daki a pouco chega as férias da escola e ja era, tempo será melhor^^
    Abraço.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Bem-vindo a Ótica Cotidiana!
Obrigado pela visita e leitura do texto.


Participe deixando a sua opinião, comentário ou questionamento sobre o texto.

NOTAS :

- Não serão tolerados qualquer mensagem contendo conteúdo ofensivo ou de spam.
- Os comentários são de plena responsabilidade dos seus autores, ainda que moderados pela administração do site.
- Os comentários não representam a opinião do autor ou do site.

MAIS DE ÓTICA COTIDIANA