Viva, respeite, ame e aprenda: é tudo que você pode fazer



Há dias enquanto caminhava notei duas coisas suficientes para me fazer pensar um pouco mais na vida. A primeira foi um ser tão distante de si quanto dos outros. Em seu discurso sarcástico-arrogante, foi preconceituoso com diversos segmentos da sociedade, desde o mais comum ao mais complexo. Percebi que ele não se dava conta do que dizia, mas achava que sabia. Fiquei imaginando o que levaria a tanta aversão por algo tão inofensivo e distante de si. Pensei também: às vezes a crítica a algo é encontrado dentro da própria pessoa ou da própria família, no entanto fica mais confortável e fácil apontar o aparente defeito somente nos outros.
Sempre ouvi dizer que quando você aponta um dedo para alguém, no mesmo instante, você tem os outros dedos apontados para si mesmo. Na fisiologia humana, dispomos de dois ouvidos e uma boca. Sinal de que devemos escutar mais e falar menos. Falar menos no sentido de falar com respeito ao outro, conhecendo as realidades ou causas, superando a própria arrogância por viver a base de superficialidades. A sensibilidade é necessária para entender que cada ser é único.
A segunda foi uma cena tocante que me deixou pensativo e inquieto. Em pouco tempo passou um filme de questões na minha cabeça sobre o que é a vida, as nossas conexões e concepções. Quando nós somos crianças admiramos muitas pessoas, desde os pais até o amiguinho que sentamos ao lado na escolinha. Desde cedo já queremos ver todos eles bem. Quando ouvimos falar que algo ruim pode acontecer, logo mudamos de humor e muitas vezes até caímos em lágrimas. Neste período, quem nunca chorou ou viu alguma criança chorar depois de o pai ou a mãe deixá-las na escola? E se for primeiro dia então, mais comum ainda. A ação por mais simples que possa parecer para os crescidos, na cabeça da criança o significado é outro: o de que eles foram embora e que nunca mais vão os ver outra vez. Do ponto de vista da criança, perder quem eles tanto querem por perto, parece no mínimo um medo imensurável. Até que venha o costume e a certeza de que vão voltar, lágrimas correm, desesperos e medo se afloram.

Crescimento, amadurecimento, etapas

Crescemos e chegamos à adolescência, tudo muda. Esquecemos o antigo, ou pelo menos fazemos questão. Perdemos medos e obtemos outros. Tudo parece estar contra nós. É reconhecível que a adolescência seja uma fase complexa. É a época de mudança e escolhas. A contradição que emerge nisso é que quem passa por ela parece não entender quando alguém está vivendo-a. Quando chegamos a uma fase mais madura, tudo muda completamente. Por vezes, muitas coisas importantes se perdem nestas fases, mas acredito que uma única coisa deveria ficar desde a infância: o amor pela família e principalmente pelos pais e amigos de verdade. Pois são pessoas que podem nos deixar a qualquer momento e quando isto acontecer muitas vezes elas nem sequer ouviram um eu te amo ou qualquer feição sincera.
Imagino também o que deve se passar na cabeça de um pai ou mãe que é abandonado por um filho (a) - ou ele some de vez ou joga-os em uma sala para ver a rua e só chamar para tomar banho ou para se alimentar, esquecendo que ali é um humano que também precisa de interação. Seja por problemas ou pelo fato das mudanças mesmo da vida (casamento, universidade, trabalho, escolhas pessoais, entre outros). O mesmo para criança abandonada ou rejeitada por ela ser quem ela é.
O fato é: quem tantos nos ajuda e quem quando pequenos amamos tanto a ponto de temer a perda parecem perder espaço na vida de alguns. E o resultado é um só: a solidão. Esta palavra é aparentemente simples, mas a sua carga é bastante extensa, capaz de gerar muitos efeitos, tanto no corpo quanto na alma. Pode parecer para você hoje que ela não signifique muita coisa, quando se tem energia e laços dispersos é comum haver confiança em excesso. Contudo, amanhã tudo pode mudar completamente.
O mundo dá voltas, a vida é bastante irônica, aprendemos errando -- uma prova disto é quando fazemos um exame e erramos somente uma questão, na maioria das vezes nem nos lembraremos das que acertamos, mas as que erramos, com certeza irão demorar um pouco para esquecermos. O mesmo vale para a vida.

Uma visão de mundo

Depois destas reflexões, seria o caso de revermos as nossas atitudes a partir de hoje? Falar mais te amo, com atitudes e verbalmente. Admirar o que gosta, o que ama, fará toda diferença na sua percepção e experimentação do mundo. Um dia você pode acordar e ver que tudo mudou. Esteja preparado.
Seus pais, família e amigos são tudo que você tem na vida. Aproveite o contato com eles. Lembre-se muito de seus pais, lembre-se de que quando você era criança, eles faziam questão de alimentar as suas fantasias. E mesmo quando não podiam dar algo que você queria, eles te davam muito mais do que você pedia. Nunca os abandone, mantenha sempre a relação de amor e respeito.
Lembre-se também dos seus amigos de verdade. Lembre-se de todas as vezes que eles te ajudaram e que tanto enxugaram as suas lágrimas, de todos os momentos felizes, de todas as brigas saudáveis, de todas as noites juntos. Enfim nunca os abandone. Esqueça os ‘amigos’ desleais e os que só querem se aproveitar de você.
Lamente pelas pessoas que não tem consideração por você e nem com os outros. Um dia elas irão perceber que pessoas não são objetos. Tente ajudá-las também.
Esqueça-se dos relacionamentos frustrados do passado, abra seu coração para perdoar, abra seu coração para amar.
Esqueça quem te fez sofrer e chorar. Converta toda sua raiva em desejo ao bem ao outro, em superação e em aprendizado. E não esqueça: tudo que vai volta, quando mais você deseja o mal para alguém, mais o mal é atraído para você.
Ame e deixe os outros amarem. Para isso, respeite as formas de amar.
Respeite as escolhas individuais, aprenda com os mais velhos conversando e passando mais tempo com eles. O ganho pode significar muito para a sua juventude.
Respeite os animais ou qualquer forma de vida. Cultive o cuidado pela natureza.
Respeite o que não se pode mudar e nem escolher.
Julgue menos e ame mais.
Olhe mais para o céu, fite as cores do dia. Faça planos para um futuro próximo.
Tenha mais contato com a natureza. Animais também são dóceis e fieis aos seus donos.
Nunca, em hipótese alguma, deixe de sonhar e acreditar que tudo que há de ruim pode mudar, e que seus sonhos e planos irão se realizar.
E dentre outras coisas, não faça com os outros, o que você não quer que façam para você ou para qualquer pessoa que você ache importante.
Em outras palavras, viva e seja feliz. Muitas pessoas existem, mas poucas vivem. A nossa existência pode ser curta e divertida ou pode ser penosa e extensa. Viva, respeite, ame e aprenda, é tudo que você tem a fazer.




Comentários

  1. Em: 14/11/2008 13:34:23

    Curti mesmo o visual do teu blog.... bem moderno :)

    ResponderExcluir
  2. Em: 14/11/2008 14:54:17

    Muito bom seu blog.
    Adorei sua visão sobre a passagem da vida, esá de parabéns.

    ResponderExcluir
  3. Em: 15/11/2008 15:16:07

    que layout manero como faz???

    ResponderExcluir
  4. Em: 15/11/2008 15:35:42

    "Acho que é o maior texto do blog".

    acho que é o maior texto da história !

    hsuahsuhaushahshu

    Mas eu gostei, a realidade da vida. VIu bitch, aprenda a respeitar as pessoas, inclusive àqueles da cmm que são de baixo nível. (olha eu entrando em contradição com seu texto)

    hahahhahahaha


    Adorei o post.

    xo.

    ResponderExcluir
  5. Em: 18/11/2008 08:58:21

    Poxa, a verdade é que a solidão sempre nos visita, ela está ao nosso lado esperando nossos amigos irem embora... As vezes me sinto assim, as vezes me sinto repleto de amizades, mesmo tendo só 3....Apesar de ser extenço, gostei do teu texto e do blog...Valeu!!!!

    ResponderExcluir
  6. Em: 18/11/2008 14:22:17

    Quando percebemos que o mundo nao e o mesmo e que as palavras tem infinitos significados, e sinal que estamos amadurecendo. A magia muda de de sintonia e em outro momento devemos comecar a entender.
    Bom post.
    Abrcs

    ResponderExcluir
  7. Em: 18/11/2008 18:33:29

    legal champs, abraços

    ResponderExcluir
  8. Em: 18/11/2008 19:34:34

    Profunda reflexão.
    Adorei seu texto
    Beijos.

    ResponderExcluir
  9. Em: 20/11/2008 23:26:20

    amigoo amei seu texto
    seu blog ta MARA ..
    te adoroo

    ResponderExcluir
  10. Em: 21/11/2008 10:19:22

    muito loko seu blog como voce mudou o fundo e como fez a cabecalho assim
    ficou muito bom paguei pau
    um forte abraco
    marco pizzi

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Bem-vindo a Ótica Cotidiana!
Obrigado pela visita e leitura do texto.


Participe deixando a sua opinião, comentário ou questionamento sobre o texto.

NOTAS :

- Não serão tolerados qualquer mensagem contendo conteúdo ofensivo ou de spam.
- Os comentários são de plena responsabilidade dos seus autores, ainda que moderados pela administração do site.
- Os comentários não representam a opinião do autor ou do site.

MAIS DE ÓTICA COTIDIANA