Outros olhos que veem o mesmo










E aí você decide dizer para o mundo o quão é diferente.
Acorda, respira bem fundo e faz tudo que precisa fazer. 
Às vezes nem sequer precisou fazer algo ou dizer. 
Apenas, em meio a tantas contradições, deu vida a uma espontaneidade. 
Os primeiros olhares parecem tentar te censurar. 
Outros querem te fazer perguntas, ou quem sabe, te admirar. 
Parecem não saber ler, parecem temer o diferente.
O mundo te vê com outros olhos, mas o interessante é que você sempre esteve ali.



Comentários

MAIS DE ÓTICA COTIDIANA